22 de setembro de 2009

Encantação da Primavera







Brotam brotinhos na tarde feita
Só de suspiros:
O amor é um vírus...
Apenas o general de bronze continua de bronze!
O vento desrespeita todos os sinais do tráfego.
Velhinhos de gravata borboleta
Sobem e descem como autogiros.
O guarda de trânsito virou catavento.
As mulheres são de todas as cores como esses manequins expostos nas vitrinas,
E onde é que estão, me conta, as tuas esperanças mortas?!
Lá vão elas – tão lindas – vestidas de verde
Como Ofélias levadas pelos rios em fora
Enquanto eu nem me atrevo a olhar para o alto:repara se não é O Espírito Santo
que vem descendo em lento vôo
E até ele, até ele, deve estar assim, – todo irisado
Como os olhos das crianças, como as maravilhosas bolinhas-de-gude!

Mário Quintana
Do livro:"Primavera cruza o rio" - Ed. Globo, 1985.

0 comentários: